Nova presidente da ACRJ toma posse e pede união da classe empresarial para a volta do desenvolvimento

848

A empresária Angela Costa, tomou posse, nesta segunda-feira, como nova presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) para o biênio 2017/2019. Eleita no dia 29 de maio, Costa afirmou que vai trabalhar incessantemente para o protagonismo da entidade e no desenvolvimento das empresas em favor do país, do estado e da cidade do Rio de Janeiro.

“Nosso trabalho é articular diversos setores empresariais para indicar aos governantes o que aprendemos no dia a dia das empresas, nossos gargalos, nossas angústias e nossas propostas. Lembro a todos que essa é a Casa do Empresário. Não importa o setor de sua atividade, seja indústria, comércio, agricultura, financeiro, transporte, saúde, serviços, aqui temos uma só voz, uma voz e um grito: desenvolvimento”, ressalta a nova presidente.

Assinatura posse
A presidente da ACRJ para o biênio 2017-2019, Angela Costa, assina termo de posse durante cerimônia. Na ocasião, vice-presidentes e diretores também foram empossados

A também vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) é a primeira mulher à frente da entidade e, em seu discurso, lembrou de grandes empresários que a sucederam e que marcaram história no empreendedorismo brasileiro e fluminense.

“Quem me conhece sabe que nunca fiz uma bandeira do fato de ser mulher e prosperar no meio empresarial, predominantemente masculino. Me orgulho, sim, da minha trajetória de vida. Da luta e do trabalho que tive para ter uma empresa vitoriosa, de ser uma liderança empresarial respeitada e ser uma chefe de família”, enfatiza Angela Costa. “Agradeço a Deus, ter permitido que eu viesse a ser a primeira mulher a ocupar esta cadeira, onde me antecederam grandes nomes da história, particularmente, do empreendedorismo no Brasil, nos últimos 200 anos, cujo símbolo é nosso patrono, Irineu Evangelista de Souza, o Visconde de Mauá”, conclui.

Angela Costa discurso posse
Angela Costa discursa durante a posse para autoridades e lideranças empresariais. Mais de 200 pessoas estiveram na cerimônia para prestigiar a nova presidente da ACRJ

O presidente do Conselho Superior da ACRJ, Humberto Mota, destacou a trajetória empresarial da nova presidente e de seus vice-presidentes na capacidade de gestão para os próximos dois anos da entidade. “Angela tem uma história de vida que é um exemplo de superação, um sucesso empresarial que consolida seu talento e competência, liderança classista comprovada em diversos postos já ocupados em diferentes entidades de classe. As presenças de Benjamim Nasário, há 51 anos participando ativamente de nossa entidade, na primeira vice-presidência e Hélio Ferraz, empresário multidisciplinar, na segunda vice-presidência, demonstram o compromisso dessa diretoria que hoje se empossa com a luta em defesa das causas empresarias”, afirma Mota.

Veja o discurso de posse da nova presidente da ACRJ, Angela Costa

A cerimônia, realizada na Casa do Empresário, reuniu autoridades, lideranças empresariais e representantes de diversas entidades. Presente na solenidade, o presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, destacou que a trajetória e o desempenho da empresária trarão ainda mais dinamismo para a ACRJ. “Isso proporcionará um trabalho ainda mais integrado entre as duas instituições, o que será positivo para o fortalecimento da economia no estado do Rio”, afirmou.

Confira a galeria de fotos do evento em nosso site.

Missa em Ação de Graças

Após a posse estatutária, a Associação Comercial do Rio de Janeiro realizou Missa em Ação de Graças pela nova diretoria que estará à frente da entidade pelos próximos dois anos. Amigos e familiares estiveram na cerimônia, ocorrida na Igreja de São Judas Tadeu, localizada no bairro Cosme Velho.

Missa Ação de Graças
Missa em Ação de Graças foi celebrada na Igreja de São Judas Tadeu pelo padre Marcelo de Assis Paiva. Amigos, familiares, diretores e funcionários estiveram presentes na solenidade

Discurso do presidente do Conselho Superior da ACRJ,
Humberto Eustáquio Cesar Mota

Senhoras e senhores,

Honrados, com sentimento de gratidão, juntamente com os companheiros Marco Polo Moreira Leite e Juarez Machado Garcia, agradecemos aos grandes beneméritos e beneméritos que compõem o Conselho Superior da ACRJ, a confiança reiterada em nossa reeleição, para os cargos de presidente, vice-presidente e diretor secretário do nosso Conselho, no mesmo processo eleitoral que elegeu Angela Maria Machado da Costa, presidente da entidade para o biênio 2017 – 2019. Em nome da ACRJ agradecemos, também, ao ex-presidente Paulo Manoel Protasio, que no biênio 2015-2017, deu o melhor de si para a nossa entidade.

Na pessoa da Sra. Jurema Reis, que há mais de 70 anos participa da construção da nossa história bicentenária e na do professor Nestor Rolim Lacerda, homenageamos todos os funcionários e colaboradores da ACRJ. São eles que com dedicação e muito amor à Casa de Mauá nos permitem desempenhar o papel de vanguarda na liderança empresarial brasileira.

Para nós, o biênio que agora se inicia é singular pela eleição da primeira empresária mulher, em 208 anos, a presidir a ACRJ. Angela tem uma história de vida que é um exemplo de superação, um sucesso empresarial que consolida seu talento e competência, liderança classista comprovada em diversos postos já ocupados em diferentes entidades de classe.

As presenças de Benjamim Nasario Fernandes, há 51 anos participando ativamente de nossa entidade, na primeira vice-presidência e Hélio Paulo Ferraz, empresário multidisciplinar, na segunda vice-presidência, demonstra o compromisso dessa diretoria que hoje se empossa com a luta em defesa das causas empresarias.

Senhoras e senhores, desde nossa origem, atuamos como berços de ideias renovadoras para o brasil, nos campos político, econômico e social. A caminhada política dos comerciantes fluminenses já vinha desde o início do século 18. Washington Telles da Silva Lobo, ex-presidente desta Casa, e meu antecessor na presidência do Conselho Superior, defendia a tese de que antes, durante e depois do movimento da Inconfidência Mineira, os comerciantes da praça do Rio atuaram intensamente com os conjurados de Vila Rica.

O historiador Antônio Carlos Sampaio, afirma que data de 1710 o primeiro documento coletivo dos negociantes do Rio de Janeiro, assinado por quarenta e nove deles, requerendo “ao senhor governador que se abrisse o caminho velho da Vila de Parati”. Já em 1746, estes comerciantes manifestaram-se, direta e incisivamente, pelo direito dos negociantes de participarem das eleições para os cargos de vereadores e de juízes ordinários.

No dia 20 de abril de 1821, o ouvidor da comercio do Rio de Janeiro convocou reunião de eleitores a ser realizada na Praça do Commercio. Naquele dia, houve protestos contra o regresso de Dom João a Portugal, dissolvidos pelos soldados da corte, que invadiram a Praça do Commercio.  Entre mortos e feridos, cujo número é incerto, constava morto um negociante: Miguel Feliciano de Sousa. Os comerciantes fecharam a Praça do Commercio com um anátema lapidar: “açougue real”. 

Da Independência à proclamação da República, da abolição da escravatura à consolidação das leis do trabalho, sempre pioneira na liderança do processo de modernização do país. Mantendo seu bissecular protagonismo, podemos destacar, entre inúmeras ações relevantes, nos dias atuais, a implantação, no brasil, da arbitragem comercial.

O décimo-terceiro salário nasceu aqui, em 1913, com a criação do bônus natalino, por Heitor Beltrão, adotado por todo o comércio. A criação e execução do plano estratégico da cidade do Rio de Janeiro. O primeiro seminário internacional de segurança pública, do qual resultou, entre outras importantes iniciativas, a criação do Disque Denúncia. Cofundadora do Viva Rio, base do processo de resgate da autoestima dos cariocas.

A construção dessa história é fruto de lideranças como a de Teófilo Benedito Otoni; Irineu Evangelista de Souza, Visconde de Mauá; João Batista Viana Drummond – Barão de Drummond; José Mendes de Oliveira Castro; Conde Ernesto Pereira Carneiro; Manuel Ferreira Guimarães; Rui Gomes de Almeida; Raul de Góes; Arthur Antônio Sendas, e também dos presidentes que, no presente, têm liderado esta casa, fiéis às suas tradições de pioneirismo e sentimento de história.

Essa história impõe a responsabilidade de assumirmos papel de protagonistas na solução da grave e complexa crise que atravessa o brasil, o estado e a cidade do Rio. A liderança desse processo, Angela, é o desafio que você e sua diretoria estão assumindo.

Senhoras, senhores, que mais uma vez as bênçãos de São Judas Tadeu e Santa Rita de Cássia continuem nos protegendo e inspirando.

Muito obrigado!

COMPARTILHE